Dermatite Atópica

Dermatite Atópica

A dermatite atópica é uma doença cutânea inflamatória, com influência genética associada a alterações imunológicas com reações alérgicas e alterações na barreira de proteção da pele. Muito comum entre crianças, os primeiros sintomas costumam surgir após os três meses de idade, podendo perdurar por anos. A doença geralmente afeta indivíduos com histórico familiar da doença ou histórico familiar de asma e rinite alérgica – estas três doenças são conhecidas como tríade atópica.

A característica principal da doença é uma pele muito seca e com coceira (prurido) importante. As lesões variam de acordo com a fase da vida. Na infância, são mais avermelhadas, e localizam-se na face, tronco e superfícies externas dos membros. Nas crianças maiores e adultos, as lesões localizam-se mais nas dobras do corpo, como pescoço, dobras do cotovelo e atrás do joelho, e são mais secas, escuras e espessadas.

Há diversas formas de controlar a dermatite atópica. Uma rotina diária de cuidados com a pele é essencial para você ou para o seu filho que sofre com isso. Algumas ações que você pode tomar para melhorar os sintomas são:

  • Uso diário e constante hidratantes após o banho – dê preferência aos cremes sem cheiro e mais oleosos. O uso deve ser continuado até mesmo após a melhora.
  • Banho morno ou frio, de curta duração (5 a 10 minutos), sem usar esponjas. O sabonete deve ser neutro e utilizado somente onde necessário.
  • Evitar tecidos sintéticos e lã no inverno, pois eles podem machucar a pele sensível.
  • Evitar contato com detergentes, cosméticos perfumados e coloridos, produtos de limpeza, gasolina, excessiva lavagem das mãos.
  • Manter as unhas curtas, pois unhas compridas acumulam sujeira e podem infeccionar as lesões.
  • Não usar sabão em pó e amaciantes potentes para lavar a roupa.
  • Evitar ter em casa objetos que acumulem muito pó como carpete, tapetes, cortinas, animais de pelúcia.

 

Nos casos de crise da doença, com presença de lesões com muita coceira ou muito inflamatórias, faz-se necessário o uso de medicações tópicas e, dependendo da gravidade do quadro, também por via oral, como corticoides, antialérgicos e antibióticos. A avaliação e acompanhamento com o Dermatologista é de suma importância para determinar o tratamento mais adequado.